terça-feira, 12 de março de 2013

O "BAND-AID" VOSSO DE CADA DIA!

Quem  em suas peripécias na vida de infante, depois de aprontar umas e outras, pintar o sete nunca usou o famoso "band-aid" para tratar de um corte na testa ou aquela consagrada esfoladinha no joelho. É bem verdade que muitos de nos usaram beeeeem mais band-aids que os outros e deram em sua infância muito trabalho pro seu anjo da guarda, como minha filhinha Hadassa e meu sobrinho Samuel andam fazendo, diga-se de passagem muuuuuito ultimamente.

Hoje em dia diferentemente de alguns anos atrás, temos uma série de band-aids super-transados para alegria da galera. O mercado hoje oferece cores variadas, modelos variados, estampas variadas, o preço variando de acordo com o "merchan" da marca ou programa de televisão anunciado, e até mesmo o nome de seu herói do futebol favorito, na verdade a cura do ferimento se tornou algo secundário à utilização desse aparato curativo que fazemos alusão nesse momento.

Todavia quero perguntar algo ao leitor nesse momento. Você já viu uma fratura exposta? Já tomou conhecimento de algum profissional do ramo da medicina que em sua sã consciência receitou ao vitimado desse   trágico acontecimento um reles band-aid? Creio que não.

Não precisamos ser diplomados na ciência de hipócrates para deduzir que uma fratura exposta merece um tratamento bem mais cuidadoso e apurado que o band-aid, para o ferido entrar em um estado de recuperação satisfatório para sua saúde. É necessário um cirurgia, limpeza do local, ministração de remédios anti-inflamatórios, em suma, o "orifício da questão se posiciona em uma região bem mais abissal" (o buraco é bem mais embaixo!).

Disney? Hummmm, sei não hein?
Contudo essa é uma mensagem que o Eterno permitiu ao meu coração nesse momento, que desejo compartilhar com você amado leitor,  crendo ao contrário dos Titãs, que não foi o "acaso" que te trouxe aqui hoje para ler essas linhas que produzi, mas o próprio Senhor o Rei da igreja. Quantas vezes tentamos tratar de nossas fraturas expostas com band-aids que convencionamos? Explico. Quantas vezes em vez de tratar uma questão com alguém  nos preferimos deixar o papo de lado, os envolvidos na questão se magoarem ainda mais, e tratamos a situação da fratura com o band-aid do "não vou falar sobre esse assunto", "não desejo mal para o fulano, mas que ele não atravesse mais na minha frente".

Creio que muitas "fraturas espirituais" que surgem entre irmãos da igreja, pessoas da família, tem que ser apresentada meeeesmo em oração ao Eterno Deus, pois apenas a sabedoria humana pode tornar o problema ainda pior. Portanto desejo colocar alguns passos para tratarmos dessas fraturas:

1º orar pedindo a Deus direção para resolver o problema;
2º Pedir perdão a Deus e à pessoa envolvida (perdão não superficial, mas verdadeiro!)
3º Perdoar.

Sabe quando você deve colocar isso em prática? Agora mesmo!
Vai me dizer que vc não conhece a "lenda urbana gospel"
sobre a Hello-Kitty?
Disque agora 0800-"joelho-no-chão", e apresente toda a situação ao amado da nossa alma, Ele é o cirurgião multi-facetado que pode tratar de todos feridos da ocasião, humildemente clame o favor Dele.

Não deixe a infecção do orgulho, da auto-suficiência, ou da "unção de semi-querubim" tomar conta de você!   Te dominando essas coisas, apenas contribuirão para que vossa senhoria se torne um cristão "poser" que não pratica os princípios básicos da palavra, e que vive como um monge enclausurado no monastério do seu ego.

Concluindo manos e manas, band-aid cura apenas arranhões, "fratura exposta espiritual" um boa dose de joelho no chão, morte do próprio eu e a Graça de nosso Senhor Jesus toma jeito!

Jogando fora minhas reservas pessoais de "band-aids-freudianos" e te convidando pra fazer o mesmo,

pr. Walter Filho

Fala sério, "mó fofo" esse aqui né?

Comente com o Facebook: