sábado, 10 de setembro de 2016

"Pastor, e o sincretismo?"


1-)O que é o sincretismo?

 Primeira coisa, o sincretismo não é o contrário de “não-cretismo”. (infame essa né? Risos!)

O sincretismo é o irmão mais novo do pragmatismo. (Pragmatismo? )

Sincretismo é a fusão de várias doutrinas exteriores a um tipo de pensamento filosófico ou ideia. No contexto da fé cristã, é quando é adicionado elementos de outras religiões ao culto cristão bíblico.
Exemplo, algumas igrejas adicionam ao seu bojo doutrinário e à sua práxis a famigerada “sessão do descarrego”, prática essa presente em religiões africanas.

Algumas igrejas auto-denominadas "evangélicas", também fazem uso de objetos como a vela, presente por exemplo, na missa católica romana. Pasmem, mas algumas chegam a crer na existência do purgatório.

A campeã em elementos sincréticos são aquelas igrejas que aderem ao seu bojo de crenças, práticas judaicas: objetos do judaísmo, coisas de culto vetero-testamentário. Igrejas carregam a arca da aliança, líderes religiosos usam o quipá, o talit, tocam o shofar, até a obrigatoriedade de se referir a personagens bíblicos na língua hebraica é uma regra (na verdade tais seitas, sim, são seitas, tem um “hebraico próprio”, cada uma viu!)

Existem igrejas “evangélicas” tão sincréticas, que em alguns casos é impossível discernir se tal de fato é uma igreja cristã. E cada dia isso se torna ainda mais normal.

No afã de dar uma ajuda no tocante ao aumento da quantidade de conversões, são usadas vários tipos de elementos sincréticos de outras religiões. Acabando por poluir as nascentes límpidas da sã doutrina.

2-) Sincretismo é bom ou ruim?

É péssimo! Se o ajuntamento dito cristão tem como prerrogativa amar a Deus e seguir os princípios esposados na bíblia, a palavra de Deus, o sincretismo é inconcebível! Culto cristão não é massa de bolo!

Muitos pensam que pode ser inserido na liturgia do culto de “tudo quanto há”, desde técnicas de regressão, sessões espíritas, técnicas psicológicas de auto-ajuda, estratégia de marketing, pirotecnias, até hipnose, que acaba fazendo os “cultos” serem uma verdadeira caixinha de surpresas, onde os participantes jamais poderão saber qual vai ser a próxima patacoada praticada. A verdade é que o resultado é o surgimento de uma criatura híbrida, um culto transgênico, uma verdadeira criatura de Frankstein travestido de piedade litúrgica!

Nesse Purê massudo e indistinguível e praticamente impossível encontrar Jesus por lá.

Um Amálgama! Amalgamando elementos até do vodu.
O sincretismo é uma sinfonia com motosserras e furadeiras Bosch;
É o quadro da Monalisa pintado com uma britadeira;
É um carro de formula um com pneu de rolimã;
É um vampiro tomando um Sunday de água benta;

Em suma, o sincretismo é inadmissível ao culto genuinamente cristão. Não combina.
Fruto dos Modismos. É o evangelho segundo Nicolau Maquiavel, “os fins justificam os meios”.

 Não se espantem de ouvir um dia: “Fiquei sabendo que tem uma igreja que está fazendo unção com óleo de rícino e está sendo tremendo.” Pessoalmente, não estou mais me assustando com nada, é por mais paradoxal que isso seja, fico muito assustado com isso!

Conclusão

Em vista do exposto, existe algumas perguntas a serem feitas:
  • Quero oferecer ao Senhor um culto que o agrada, ou meu propósito é apenas reunir volume demográfico no templo?
  • Tenho noção que a exposição e vivência do evangelho na prática é a tarefa de todo cristão e é suficiente para fazer a “obra de Deus” aqui na terra? Ou tenho que criar condições criativas, independente se sejam bíblicas ou não, ou que entrem em conflito com as doutrinas claras da bíblia?
  • Uso o versículo “fará obras maiores que eu faço” fora do contexto, só para abalizar meu culto sincrético?

Rapaz, se suas respostas foram afirmativas  você não vive uma “sã doutrina” (I Pe 2.2), mas sim uma doutrina moribunda (I Tm 4.1), ineficaz e que já está na UTI passando por um coma induzido.
Contudo há uma boa notícia, há tempo de mudar a direção.
Retorne às escrituras, creia no evangelho, obedeça as palavras do verbo vivo (Jo 1.1, Jo 1.14), que se um dia os céus deixarem de existir, e a terra esgote seu prazo de validade permanecerão para sempre (Mt 24.35).

Correndo o risco de ser odiado por alguém, reitero: Mude de vida! Pare de brincar com a palavra de Deus e com as ovelhas do Senhor!

É tempo de limpeza (Ap 22.11)! E vai começar pela “casa de Deus” (I Pe 4.17)

"Vê se te orienta Al Capone"!

Microscopicamente falando (João 3.30),

Pr. Walter Filho



Comente com o Facebook: